Formação do Herói


justificativa

A proposta desta oficina está associada à ideia e prática de uma das bases da cultura ocidental: a paideia grega. Entendida como formação integral do homem, visava preparar e fortalecer o indivíduo para que ele superasse a condição de animalidade e, pelo exercício da razão, se tornasse um herói –   ideia que em nada se assemelha aos sentidos que vêm sendo dado ao termo nos últimos séculos e, menos ainda, sob o signo dos atuais meios de comunicação. 

Herói é quem se constitui como sujeito, isto é, quem torna-se capaz de “proferir palavras e realizar ações”, de acordo com Homero há cerca de 3 mil anos. Herói é aquele que supera as dificuldades da vida, usando como instrumentos não a força física e as armas, mas o que diferencia o homem dos outros animais: a razão. Ao se utilizar desse instrumento, o herói ‘cola’ a vida à arte, na medida em que faz de sua própria vida uma obra de arte. Vale dizer:  herói é quem descobre e desenvolve a técnica e/ou habilidade de e para lidar consigo mesmo.

Mais tarde, quando Atenas inaugura a ‘democracia’, a paideia se dedica a formar crianças e jovens para a convivência social, entendendo que a pólis somente seria efetivamente  democrática se os indivíduos o fossem. É também quando surge a figura do pedagogo, aquele que facilita o acesso dos mais jovens ao conhecimento da cidade e do mundo.

O resultado dessa formação fez a Grécia tornar-se referência para o Ocidente, o lugar de excelência dos grandes nomes da filosofia, da arte, da política, da ciência… Não por acaso, portanto, e graças à paideia, não há como falar da Antiguidade sem os pensadores gregos. 

Bem por isso, vale a pena retomá-la em pelo menos algum aspecto!

de que se trata

oficina de autoconhecimento para 12 participantes com idades entre 14 e 28 anos

objetivo

contribuir para que os adolescentes e jovens participantes construam a imagem de e para si mesmos

como acontece

  • durante 39 horas [13 encontros de 3 horas cada], os participantes ouvem, comentam narrativas míticas e transformam os conteúdos em expressões artísticas: escolhem livremente quais linguagens artísticas pretendem explorar
  • subdivididos em 4 grupos de 3, concebem, elaboram, planejam e dão início à produção coletiva de arte relativa a cada um dos 12 ‘trabalhos de Hércules’
  • para o último dia, preparam e promovem exibição pública das produções

recursos materiais

  • sala adequada para trabalhos em grupos e subgrupos
  • data show
  • materiais básicos disponíveis para produções artísticas